Pesquisa sobre uso da Internet durante a pandemia aponta dados sobre a telessaúde no Brasil

Sabia que um quinto dos usuários de Internet no Brasil agendou, fez consultas de saúde ou acessou resultados de exames pela Internet? A conclusão faz parte do Painel TIC Covid-19, pesquisa sobre o uso da Internet no Brasil durante a pandemia do novo coronavírus realizada com usuários de Internet a partir de 16 anos, pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), departamento do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), ligado ao Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br).

A pesquisa aponta ainda que entre os usuários de Internet que recorreram a serviços on-line, 50% foi por aplicativos de mensagens, como Whatsapp e Telegram, 28% por aplicativos da rede pública e 30% por apps de plano de saúde.

Outra conclusão é que a preocupação com a segurança de dados pessoais é um dos principais motivos para usuários de Internet brasileiros não terem utilizado serviços de saúde on-line durante a pandemia: 55% pela preocupação com segurança de dados pessoais e 34% não têm confiança no serviço pela Internet. Além disso, foi identificado que um quarto dos usuários de Internet no Brasil utilizou apps de triagem virtual para identificar os sintomas da COVID-19. Entre eles, a maioria (71%) utilizou o aplicativo do SUS.

O painel TIC Covid-19 traz ainda dados sobre ensino e trabalho remoto, cultura, privacidade, hábitos de consumo e outras atividades on-line. Para saber mais, acesse https://cetic.br/pt/pesquisa/tic-covid-19/analises/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *