Os desafios da Telefonoaudiologia prática, ética e empática

A Telefonoaudiologia durante e após a pandemia foi tema de webinar da ABTms, dia 29 de outubro, com as participações da Profa. Dra. Andrea Cintra Lopes (USP – presidente da Comissão de Saúde e Coordenadora do GT de Telefonoaudiologia do CFFa), da Profa. Dra. Ingrid Gielow (FGV – vice-presidente da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia), da Profa. Dra. Carmen Barreira-Nielsen (HUCAM/ UFES – Coordenadora Telessaúde e RUTE) e de Caroline Peixoto (UERJ – fonoaudióloga e preceptora de residência), com moderação da Profa. Dra. Alexandra Monteiro, diretoria científica da ABTms, e Dr. Luiz Ary Messina, presidente.

O webinar proporcionou um importante espaço de troca avançada entre profissionais de referência do setor e está disponível na íntegra para a comunidade ABTms. Assista aqui:

https://nasnuvensrnp.sharepoint.com/:v:/s/NovABTms/EWCIDhGDLipBktdYxJSete4BPZsN29lMFwFF9bufVKwuow?e=l23iA0

As representantes do Conselho Federal de Fonoaudiologia e da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia apresentaram o percurso evolutivo das respectivas entidades nos últimos dez anos e como sua atuação sofreu uma reviravolta, que culminou com a resolução nº 580, de 20 de agosto. Andrea Cintra Lopes abordou também o processo de elaboração de um guia de boas diretrizes em fonoaudiologia levando em conta, além da competência clínica, domínio de ferramentas tecnológicas e ética digital.

A Dra. Ingrid Gielow acrescentou à visão histórica da telefonoaudiologia no Brasil, o impacto da pandemia em relação à falta de formação específica para lidar com os novos desafios e a grande força tarefa realizada pela Sociedade Brasileira de Telefonoaudiologia neste período. Segundo Ingrid, um dos pontos fundamentais dessa estratégia foi buscar e experimentar parcerias com plataformas capazes de instrumentalizar a prática clínica com segurança. Outros pontos de alerta para a atuação da entidade foram a preocupação com a proteção dos profissionais no ambiente hospitalar, a segurança nas redes e a empatia nas várias esferas conectadas.

A Dra. Caroline Peixoto relatou sua experiência principalmente sob o ponto de vista da prática ambulatorial, de sua busca pela regulamentação, dificuldades, barreiras e momentos de superação. Frente ao cenário comum a todas as profissionais, embora sob perspectivas diferentes, a Dra. Carmen Barreira-Nielsen lembrou um ponto importante e muitas vezes relegado ao segundo momento da questão: a remuneração dos profissionais e a necessidade de organização e luta para manter condições de sobrevivência com toda a competência, habilidade, responsabilidade e atitude que o momento pede. Muitas operadoras da área de saúde não remuneram a teleconsulta no mesmo patamar da consulta presencial, tema que é um dos grandes desafios para as entidades de classe e associações como a ABTms.

O evento pertence ao Ciclo Webinars ABTms 2020, com a presença de renomados especialistas e a abordagem de temas como “O Futuro da Telemedicina e Telessaúde no Pós Pandemia”, a Tele-enfermagem, a Telefisioterapia, a Telessaúde em Urgência e Emergência, e painéis internacionais com especialistas da Rússia, China, México com foco na saúde indígena, em parceria com a RUTE, e o painel latino-americano “RUTE-LA, Reglamentación y Formación en Telemedicina y Telesalud”, realizado no Global Summit 2020 Telemedicine & Digital Health.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *