Histórico

Relato das atividades realizadas pelo Conselho Brasileiro de Telemedicina e Telessaúde (CBTms) Período de 2001 a 2016 A primeira discussão sobre a necessidade da formação de uma entidade que representasse a Telemedicina brasileira surgiu a partir de uma reunião realizada durante o Congresso da ATA (Associação Americana de Telemedicina), em Maio de 2001, em Fort Lauderlade, envolvendo György Miklós Böhm, Chao Lung Wen e Roberto Botelho. Considerava-se que a Disciplina de Telemedicina da FMUSP, que havia sido criada em 1997, estava avançando nas iniciativas de rede de teletriagem e prevenção de câncer de pele, teledermatologia, teleoftalmologia, telemicrobiologia, uso de realidade virtual e infografias; e também que estava em estruturação a rede de TeleECG em iniciativas privadas. Levando em consideração as perspectivas de crescimento, a necessidade de indução e difusão da Telemedicina e as suas potencialidades, houve então consenso pela formação de uma entidade que congregasse as diversas instituições e fomentasse ações governamentais e iniciativas privadas. A primeira opção foi a de procurar se já havia entidade no Brasil com a qual se pudesse trabalhar em conjunto. No período entre o segundo semestre de 2001 e o primeiro semestre de 2002, foram feitas reuniões e prospecção de entidades. Na ocasião, foi identificada a existência da Associação Brasileira de Telemedicina, com sede em Rio de Janeiro. Do período de fevereiro a setembro de 2002, procurou-se entrar em contato com a diretoria da entidade para propor trabalhos em conjunto. Em decorrência da ausência de resposta, em novembro de 2002 foi optado pela criação de uma nova entidade, sendo elaborado o primeiro estatuto e escolhido o nome de Conselho Brasileiro de Telemedicina e Telessaúde (CBTms). Entre os sócios fundadores, além os precursores da iniciativa (György Böhm, Chao Lung Wen e Roberto Botelho), estavam os professores Adib Domingos Jatene, Dario Birolini, Daniel Sigulem, Eduardo Massad, Raymundo Soares de Azevedo Neto, Ricardo Renzo Brentani (in memoriam) Raul Cutait, entre outros. Foi então constituída uma diretoria provisória, com Prof. György como presidente, Prof. Daniel Sigulem como vice-presidente, Prof. Chao Lung Wen com Secretário Geral, Prof. Raymundo Soares de Azevedo Neto como Diretor de Finanças e Prof. Roberto Botelho como Diretor Científico e de Divulgação. No período desde a sua constituição até a realização do I Congresso, o CBTms procurou integrar-se com a Informática em Saúde. As atividades começaram em maio de 2003, com a realização do I Encontro entre a Disciplina de Telemedicina da FMUSP e o Departamento de Informática em Saúde da UNIFESP, para promover o compartilhamento de conhecimentos. A segunda ação foi interagir com Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS), gestão da Profª. Heimar. Durante os entendimentos, foi decidido em conjunto que as duas entidades não deveriam ser competitivas entre si, mas deveriam cada uma procurar incentivar as suas áreas de excelência e identificar as áreas de cooperação e colaboração. Para efetivar esta integração, foram deliberadas duas ações: (1) que os congressos do CBTms (anos ímpares) ocorreriam em anos que não haveria os congressos da SBIS (anos pares), e (2) que nos congressos da SBIS haveria um espaço reservado para o CBTms e vice-versa. Este fato ocorreu durante todo o período das duas gestões da Profa.Heimar como presidente da SBIS. Em Fevereiro de 2003, foram iniciados os primeiros contatos com a Feira e Fórum Hospitalar, para discussão sobre Telemedicina. A Drª. Waleska Santos (presidente da Feira), interessada em apoiar a iniciativa, gentilmente cedeu um espaço na Feira Hospitalar para criação do Estande Estação Digital Médica, que possibilitou agregar algumas instituições para a realização de uma atividade conjunta (Disciplina de Telemedicina, Telefônica, Certisign, CREMESP, HCFMUSP e a Hospitalar), numa primeira iniciativa em Telemedicina, antecedendo o Congresso. O Estande teve a visita do Ministro da Saúde, Secretário da Saúde do Estado de São Paulo, entre outras autoridades. Foi feita a primeira demonstração de evento a distância, em tempo real, de procedimento cardiológico a partir de Uberlândia. Como marco evidente, uma semana antes da Feira Hospitalar, foi realizada a primeira transmissão educacional por videoconferência, por satélite (banda cedida pela empresa Telespazio). O evento ocorreu durante uma semana, para a primeira turma do curso de medicina da UFAC. A atividade inicial foi sobre Telecardiologia, aula teórico-prática (demonstrativa) proferida pelo Prof. Adib Jatene, a partir do CETEC (Centro de Tecnologia) da FMUSP.

No período de 2 a 4 de novembro de 2003, foi realizado o I Congresso Brasileiro de Telemedicina e Telessaúde e o 2º Congresso Latino Americano de Internet na Medicina, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo. O evento caracterizou-se por diversas inovações. Concomitantemente à programação principal, foram realizadas diversas atividades para promover os desenvolvimentos verticais. Para isto, formam realizadas a Jornada de Teleoftalmologia (Workshop de Oculoplástica), Jornada de Telenfermagem, Jornada de Telefisiatria, Jornada de Telenutrição, Workshop de Telemicrobiologia, Fórum da Associação Médica Brasileira, Jornada de Teledermatologia e Treinamento Microsoft sobre tecnologia DotNet. Ao final do congresso, foi feita a convocação de assembleia geral que, por consenso, indicou a diretoria provisória para a primeira gestão de 3 anos (2003 – 2006). Como resultante do I Congresso, foi iniciada, em dezembro de 2003, uma discussão para realizar a primeira atividade de Teleodontologia, por meio de uma cooperação de trabalho entre a Disciplina de Telemedicina da FMUSP e a Odontologia da Universidade Sagrado Coração (Bauru), para desenvolver os primeiros módulos do Homem Virtual para Odontologia (Estrutura Dental e Articulação Temporomandibular). Os trabalhos iniciaram-se em janeiro de 2004. Em Fevereiro de 2004, foi iniciado o primeiro contato com o grupo de Fonoaudiologia da FOB-USP e, em abril, numa iniciativa liderada pela Profª. Cecília Bevilacqua, com a ativa atuação da Profª. Wanda Blasca e da Profª. Deborah Ferrari, foi criado o Departamento de Teleaudiologia do CBTms, que foi a 2ª iniciativa de Teleaudiologia no mundo, por uma diferença de uma (semana?) da constituição da Teleaudiologia americana. O evento de constituição foi feito pela primeira transmissão de videoconferência, por linhas digitais, entre a FOB-USP (biblioteca) e o CETEC-FMUSP. Em dezembro de 2004, foi criado o Pólo de Telemedicina da Amazônia, sob coordenação do Prof. Cleinaldo e do Prof. Pedro Elias, por meio de Termo de Cooperação Técnica entre a UEA e a FMUSP. O Pólo teve apoio do Conselho Federal de Medicina. Em abril de 2004, visando a incentivar adesão a uma iniciativa, foi realizado o I Encontro Pró-Fust, em BH, como continuidade aos debates iniciados no Simpósio Aspectos Jurídicos: o FUST e a Telemedicina. Em junho de 2005, em parceria com a Feira e Fórum Hospitalar, foi realizada a 2ª participação em um estande da Estação Digital Médica, com a participação da Diveo, do Hospital Sírio Libanês, SIPAM/SIVAM, AMD etc.. Com o objetivo de fortalecer a iniciativa de Teledontologia, em junho de 2005, foi realizado o I Encontro de Teleodontologia, em BH, antecedendo a ABENO, sob a coordenação do Prof. Chao Lung Wen, iniciativa da Disciplina de Telemedicina da FMUSP, Universidade Sagrado Coração e CBTms, que contou com o apoio da Takaoka. No período de 23 a 26 de outubro de 2005, foi realizado o 10º Congresso Internacional de Telemedicina da IsfTH e o 2º Congresso Brasileiro de Telemedicina e Telessaúde do CBTms, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo. O evento caracterizou-se pela participação internacional; pelo anúncio do grupo vencedor do Projeto de Telemedicina do Edital Programa Institutos do Milênio, do CNP/MCT; pelo incentivo à Telerradiologia, às Urgências e Traumas, às Teletecnologias e à Telecardiologia; pela realização do II Encontro da ATALACC (coordenação de Gisell Riccur), do II Encontro de Teleodontologia, do II Encontro de Telenfermagem e do Workshop de Introdução à prática da videoconferência, entre outras atividades.

Na cerimônia de abertura do Congresso, foi feita a solenidade do Projeto de Telemedicina do Programa Institutos do Milênio, do CNPq, projeto sob coordenação do Prof. Eduardo Massad, vice coordenação do Prof. György Böhm, e de responsabilidade executiva do Prof. Chao.

Em 2006, houve a participação no do Congresso da SBIS, realizado no resort do Costão do Santinho. Em 2006, em participação ativa junto à SGTES/Ministério da Saúde, durante o processo de estruturação do, futuramente (2011), denominado de Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes, foi oficializado o CBTms como integrante da Comissão Permanente de Telessaúde do Ministério da Saúde.

Com o objetivo de difundir a Telemedicina e a Telessaúde pelo Brasil, o então presidente, deliberou pela realização do 3º Congresso em alguma localidade fora de São Paulo e, para compartilhar mais os trabalhos, propôs que fosse criado o cargo de Presidente de Congresso. Para a realização do 3º Congresso de Telemedicina e Telessaúde do CBTms, a Profª. Alexandra Monteiro aceitou o desafio e assumiu a responsabilidade de organizar e realizar o evento, no período de 8 a10 de novembro de 2007, no RJ, com importante participação da UERJ. Em 2009, o 4º Congresso de Brasileiro de Telemedicina e Telessaúde e II Workshop do Laboratório de Excelência e Inovação em Telessaúde (América Latina e Europa) foi organizado e realizado no período de 09 a12 de dezembro, em BH/MG. Coube à Profª. Alaneir de Fátima dos Santos e equipe este desafio, tendo o Prof. Claudio de Souza como presidente de honra. Em Junho de 2011, foram apresentadas as potencialidades da Telemedicina e da Telessaúde no 55º Painel TELEBRASIL, realizado em Brasilia.

Em 2011, a organização e realização do 5º Congresso Brasileiro e Internacional de Telemedicina e Telessaúde coube ao Prof. Cleinaldo de Almeida Costa e equipe, tendo com Presidentes do congresso o Prof. Cleinaldo Costa e o Dr. Pedro Elias e, como Presidente de Honra, o Prof. György M. Böhm.

Em maio de 2012, em parceria com a Drª Waleska Santos, Presidente da Feira e Fórum Hospitalar, foi realizado o I evento Hospitalar Digital Health, que teve como foco o estímulo para as iniciativas privadas, como complemento ao estímulo para as iniciativas governamentais e universitárias já realizadas pelos Congressos do CBTms. O evento, sob Coordenação do Prof. Chao, ocorreu nos dias 22 e 23, focado nos eixos de Telehomecare para Hospitais, Telehomecare para empresas de homecare e eHealth/ mobile Health para planos de saúde. No dia 23 de maio de 2013, em parceria com a Feira e Fórum Hospitalar, foi organizado e realizado o 2º Hospitalar Digital Health, sob coordenação do Prof. Chao, focando nos eixos de Estratégias e demandas governamentais, Tablet da Saúde e Educação 3.0 e Recursos Tecnológicos. O evento teve a participação da Profa. Ana Estela Haddad, do Presidente do grupo Telefônica Vivo e da Dra. Waleska Santos. No período de 20 a 22 de novembro de 2013, foi realizado o 6º Congresso Brasileiro de Telemedicina e Telessaúde do CBTms, na Faculdade de Medicina da USP, com o Prof. György Miklós Böhm como presidente, Prof. Wu Tu Hsing como vice-presidente e Prof. Luiz Carlos Lobo como professor de Honra. O Congresso caracterizou-se por uma rica integração entre a academia e o governo (federal, estadual e municipal). No dia 22 de maio de 2014, em parceria com a Feira e Fórum Hospitalar, foi organizado e realizado o 3º Hospitalar Digital Health, sob coordenação da Profa. Dra. Ana Estela Haddad e do Prof. Dr. Claudio de Souza. No período de 27 a 30 de outubro de 2015, foi realizado o 7º Congresso Brasileiro de Telemedicina e Telessaúde do CBTms, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com o Profa. Dra. Alexandra Monteiro.