A primavera da telemedicina

O Fórum da Internet no Brasil, evento preparatório para o Fórum de Governança da Internet (IGF), evento global promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU), contou com a participação da ABTms, por meio de seu secretário geral Paulo Lopes (Rute/RNP).

A sessão “Internet, pandemia e sustentabilidade” teve também as participações de Laura Tresca (Artigo 19), Carlos Afonso (Instituto NUPEF), conhecido na comunidade por CA, Andriei Gutierrez (IBM), Tatiana Schor (SECTI-AM) e Artur Coimbra (Ministério das Comunicações).

Além de buscar compreender o impacto da Internet no meio-ambiente e nas mudanças climáticas, a sessão discutiu o impacto social da pandemia, na perspectiva de mitigar efeitos negativos e alimentar a criação de soluções a partir de lições do período.

Foi abordada a importância da telemedicina e os desafios da Internet para a universalização da saúde, por meio de experiências brasileiras, como a Rute da RNP (Rede Universitária de Telemedicina da Rede Nacional de ensino e Pesquisa). Lopes também ressaltou o papel acadêmico na construção de uma estratégia de Saúde Digital para o Brasil baseada em quatro pilares: Governança, Serviços/Sistemas, Padrões e Interoperabilidade, Infraestrutura e Recursos Humanos.

Além do marco legal da telemedicina, estabelecido na pandemia, e da expansão do atendimento remoto, inúmeras atividades foram desenvolvidas no ensino, pesquisa e assistência, incluindo a prontidão dos Grupos de Interesse Especiais – SIGs da Rute na cooperação nacional e internacional na troca remota de conhecimento em saúde.

No entanto, para a ABTms, é fundamental advogar práticas com responsabilidade e ética. Um dos maiores desafios para o futuro da saúde na Internet é a ampliação e sustentabilidade da universalização, equidade e integralidade da Saúde, além da necessidade de maior capilaridade da Internet para chegar às escolas e residências, concluiu Lopes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *